A relação entre o intestino e doenças como câncer e obesidade

Atualizado: 20 de Out de 2020

Como vimos no post "Qual a relação entre o intestino e doenças como depressão e diabetes?" os desequilíbrios na microbiota intestinal estão associados com diversas doenças, incluindo autoimunes, metabólicas, neoplásicas, neurológicas, gastrintestinais/digestivas, cardiovasculares, neurológicas e infecciosas.


teste rápido para glicemia

Continuando, vamos entender quais são as relações do microbioma com:


Diabetes do tipo 1


O diabetes do tipo 1 é classificado como uma doença de predisposição genética. Entretanto, essa predisposição não age sozinha. Fatores ambientais, como a dieta, exposição a agentes infecciosos e alterações na composição das bactérias que compõem a microbiota intestinal também estão relacionados à doença.


Uma pesquisa desenvolvida por pesquisadores da USP mostrou que alterações nas populações de bactérias que colonizam o intestino pode desencadear o diabetes do tipo 1. Os autores observaram processos inflamatórios no intestino antes mesmo dos primeiros sinais clínicos da doença. ⠀


O desequilíbrio da microbiota intestinal é considerado um dos sinais do desenvolvimento do diabetes tipo 1.

Uma microbiota saudável é rica em bactérias com alto potencial probiótico, como por exemplo, espécies dos gêneros Lactobacillus e Bifidobacterium. Quando essa microbiota saudável é substituída por microrganismos patogênicos e pró-inflamatórios, como a Escherichia coli, por exemplo, pode-se ter uma condição favorável ao desenvolvimento do diabetes tipo 1.

Osteoartrite


A osteoartrite (OA) é uma doença articular degenerativa e a forma mais comum de artrite: aproximadamente 22% da população adulta tem pelo menos uma articulação afetada pela osteoartrite e essa proporção aumenta para 49% em indivíduos acima de 65 anos.


Um estudo publicado na revista Nature mostrou que há relação entre dor nas articulações e a composição da microbiota intestinal. A abundância de Streptococcus pode levar a um aumento da produção de metabólitos que atravessam a barreira intestinal e caem na circulação sanguínea ou através de produtos imunogênicos que estimulam macrófagos locais ou sistêmicos.


A inflamação mediada por macrófagos têm um papel crucial na dor e na gravidade da osteoartrite, e foi sugerido que ela seja desencadeada pelas endotoxinas produzidas pelo microbioma gastrointestinal.


Os resultados encontrados indicaram a microbiota intestinal como possível alvo terapêutico para o tratamento da osteoartrite.