Relação entre Parkinson e microbioma intestinal

Atualizado: Abr 14


A‌ ‌doença‌ ‌de‌ ‌Parkinson‌ ‌(DP)‌ ‌é‌ ‌uma‌ ‌doença‌ ‌neurológica‌ ‌progressiva,‌ ‌causada‌ ‌pela‌ ‌degeneração‌ ‌das‌ ‌células‌ ‌de‌ ‌uma‌ ‌região‌ ‌do‌ ‌cérebro‌ ‌chamada‌ ‌substância‌ ‌negra.‌ ‌A‌ ‌substância‌ ‌negra‌ ‌é‌ ‌responsável‌ ‌pela‌ ‌produção‌ ‌de‌ ‌dopamina,‌ ‌um‌ ‌neurotransmissor‌ ‌que,‌ ‌entre‌ ‌outras‌ ‌funções,‌ ‌controla‌ ‌os‌ ‌movimentos.‌ ‌Por‌ ‌isso,‌ ‌essa‌ ‌degeneração‌ ‌afeta‌ ‌as‌ ‌habilidades‌ ‌motoras,‌ ‌o‌ ‌movimento‌ ‌e‌ ‌a‌ ‌função‌ ‌muscular.‌ ‌O‌ ‌‌Parkinson‌ ‌é‌ ‌a‌ ‌segunda‌ ‌doença‌ ‌neurodegenerativa‌ ‌mais‌ ‌comum,‌ ‌atrás‌ ‌apenas‌ ‌do‌ ‌‌Alzheimer‌.‌ ‌


Fonte: Illustration by Icons 8 from Ouch!


A perda degenerativa de neurônios que produzem dopamina impede que as mensagens normais que controlam nosso movimento sejam enviadas e os sintomas da doença de Parkinson tornam-se aparentes. À medida que o número desses neurônios diminui, os sintomas progridem e surgem novos.


Atualmente sabe-se que o sistema nervoso entérico (SNE) pode estar associado ao desenvolvimento da doença de Parkinson pela presença de inflamação e aumento da permeabilidade intestinal, que foram identificadas em pacientes com diagnóstico positivo para a doença.

Além disso, pesquisadores encontraram nas células nervosas do cérebro de pacientes com DP, depósitos anormais de uma proteína chamada alfa-sinucleína, conhecidas como corpos de Lewy. Os corpos de Lewy são considerados marcadores de morte celular e neurodegeneração.


Curiosamente, os corpos de Lewy também aparecem nas células nervosas produtoras de dopamina do intestino muito antes do aparecimento dos sintomas neurológicos da doença, indicando que a doença de Parkinson pode, de fato, originar-se ali.


O intestino e a doença de Parkinson


Há mais de 200 anos, James Parkinson observou que algumas pessoas que tinham a condição que ele chamou de “paralisia dos tremores” também tinham prisão de ventre. Hoje isso ainda é verdade, e a lista de sintomas cresceu para incluir vários problemas digestivos, como náuseas e constipação.


Frequentemente, esses sinais passam despercebidos e não são associados automaticamente a um distúrbio neurológico. Da mesma forma, é um fato pouco conhecido que as pessoas com doença inflamatória intestinal, como a doença de Crohn e colite ulcerativa, possam ter um risco maior de desenvolver DP.

Entretanto, tais considerações podem ser a chave para identificar manifestações iniciais da doença.


A inflamação geralmente decorre de um desequilíbrio nas bactérias que habitam nosso intestino. A disbiose é uma condição da microbiota intestinal


A disbiose é uma condição da microbiota intestinal em que um ou alguns microrganismos potencialmente nocivos estão presentes em grandes quantidades, criando, portanto, uma situação propensa a doenças, ou resultando em outras perturbações perceptíveis da microbiota, como fezes líquidas, infecções gastrointestinais ou inflamações.