top of page

Microbiota vaginal na menopausa: mudanças e riscos

A menopausa pode influenciar na diminuição das bactérias benéficas do microbioma vaginal, aumentando o risco de infecções e desconfortos.



A menopausa é um processo natural que ocorre na vida de toda mulher. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a menopausa é definida como:

A cessação permanente da menstruação espontânea, causada pela perda da atividade folicular ovariana.

Com isso, os níveis estrogênio e progesterona, hormônios produzidos nos ovários, diminuem, podendo levar a uma série de sintomas que afetam a qualidade de vida da mulher.


Os sintomas da menopausa podem variar de mulher para mulher e podem durar alguns meses ou anos, incluindo:

  • Fogachos (ondas de calor);

  • Suores noturnos;

  • Alterações no humor;

  • Ressecamento vaginal;

  • Insônia;

  • Perda de massa óssea;

  • Alterações na pele e cabelo.

Ainda, a diminuição dos níveis de estrogênio no organismo durante a menopausa levam a mudanças significativas na microbiota vaginal, além de afetar a espessura e a elasticidade da parede vaginal, tornando-a mais propensa a irritações e infecções por leveduras, vaginose bacteriana e infecções do trato urinário.




Como a diminuição do estrogênio na menopausa afeta a microbiota vaginal?

A diminuição nos níveis de estrogênio ocorre naturalmente à medida que as mulheres envelhecem e seus corpos se preparam para o fim da capacidade reprodutiva. Quando os níveis de estrogênio diminuem durante a menopausa, a quantidade de glicogênio na parede vaginal também diminui.


O glicogênio é um açúcar que é armazenado nas células da parede vaginal e serve como alimento para as bactérias benéficas que produzem ácido láctico, incluindo as bactérias do gênero Lactobacillus. Essas bactérias são responsáveis por manter o pH vaginal mais ácido, o que ajuda a prevenir o crescimento de bactérias potencialmente nocivas.


Como consequência, a diminuição nos níveis de glicogênio pode então levar a uma diminuição na produção de ácido lático pelas bactérias benéficas, o que pode aumentar o pH vaginal e permitir que as bactérias nocivas cresçam.



É possível controlar os sintomas da menopausa relacionados à microbiota vaginal?

A terapia de reposição hormonal é atualmente reconhecida como o método mais eficaz para tratar os sintomas da menopausa, no entanto, ela pode não ser adequada para algumas mulheres. Estratégias não hormonais, incluindo mudanças no estilo de vida, dieta e nutrição, produtos farmacêuticos não hormonais, terapias comportamentais e medicina alternativa também têm sido propostas para controlar os sintomas da menopausa.


Estudos sugerem que Bactérias Ácido Láticas (BAL), particularmente aquelas usadas como probióticos, podem ser eficazes no alívio de distúrbios complexos da menopausa, incluindo alívio da intolerância à lactose, proteção da saúde do trato digestivo, ativação do sistema imunológico, proteção contra infecções, melhoria da absorção de nutrientes e melhoria da microbiota vaginal. No entanto, ainda são necessários estudos extensos e sistemáticos para demonstrar a eficácia das BAL.


Por isso, é importante que mulheres na menopausa conversem com seus médicos sobre formas de manter a saúde vaginal, e medidas que possam ajudar a manter o pH vaginal ácido e a microbiota vaginal saudável. E conhecer a microbiota vaginal através do BIOfeme pode ser um aliado nesse processo.


Os resultados do BIOfeme podem auxiliar os profissionais de saúde na identificação e caracterização do perfil microbiano vaginal e sua relação com a saúde da mulher, possibilitando uma melhor compreensão sobre o quadro clínico e direcionando tratamentos de forma assertiva e eficiente de acordo com os microrganismos detectados.


Saiba mais sobre o BIOfeme acessando nosso site, é só clicar aqui.



Fontes:


Auriemma, Renata S et al. “The Vaginal Microbiome: A Long Urogenital Colonization Throughout Woman Life.” Frontiers in cellular and infection microbiology vol. 11 686167. 6 Jul. 2021, doi:10.3389/fcimb.2021.686167


Chen, Qian et al. “Lactic Acid Bacteria: A Promising Tool for Menopausal Health Management in Women.” Nutrients vol. 14,21 4466. 24 Oct. 2022, doi:10.3390/nu14214466


de Oliveira, Nayara Santos et al. “Postmenopausal Vaginal Microbiome and Microbiota.” Frontiers in reproductive health vol. 3 780931. 14 Jan. 2022, doi:10.3389/frph.2021.780931


Park, Min Gu et al. “Menopausal Changes in the Microbiome-A Review Focused on the Genitourinary Microbiome.” Diagnostics (Basel, Switzerland) vol. 13,6 1193. 21 Mar. 2023, doi:10.3390/diagnostics13061193


Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


Gostou do conteúdo?
Assine nossa newsletter e seja o primeiro a saber sobre as novidades.
* A BiomeHub tem o compromisso de proteger e respeitar sua privacidade e nós usaremos suas informações pessoais somente para administrar sua conta e fornecer os produtos e serviços que você nos solicitou. Ocasionalmente, gostaríamos de contatá-lo sobre os nossos produtos e serviços, também sobre outros assuntos que possam ser do seu interesse. Você pode cancelar o recebimento dessas comunicações quando quiser. 

Obrigado por se inscrever!

bottom of page