top of page

Quanto as pessoas sabem sobre o microbioma?

Uma pesquisa recente, realizada pela International Microbiota Observatory, entrevistou 6.500 pessoas em diversos países com o objetivo de avaliar o conhecimento sobre o termo “microbioma” e seu impacto sobre a saúde.


microbioma humano

Os entrevistados, no primeiro momento, foram questionados se conheciam o termo “microbioma”. 64% das pessoas já tinham ouvido falar sobre o termo “microbioma”. Apesar do aumento exponencial de artigos científicos disponíveis, apenas 1 em cada 5 pessoas sabiam exatamente o significado.


nuvem de palavras

Além disso, quase metade dos entrevistados não sabiam quais microrganismos fazem parte do microbioma.


O termo “microbioma” foi associado a diversas informações, palavras e sentimentos como bacteria, corpo, saúde, intestino, doença e flora.


Existem diversos microbiomas, sendo os mais populares o intestinal, vaginal, oral e de pele. Apenas ⅓ das pessoas que responderam, já haviam entrado em contato com os termos microbioma urinário, microbioma pulmonar e microbioma de orelha, nariz, e garganta. Neste tópico, os brasileiros tinham um conhecimento discretamente maior em relação aos demais países.


Embora o conhecimento sobre as causas e consequências de um microbioma desequilibrado seja limitado, algumas informações essenciais são conhecidas pela maioria das pessoas. Um terço dos entrevistados conheciam o termo “disbiose”, enquanto apenas 11% sabiam seu conceito.


Leia também:



Falta de conscientização sobre os comportamentos e as soluções a serem implementadas para manter um microbioma equilibrado

Em relação ao papel do microbioma intestinal no processo saúde-doença, a maioria das pessoas tinham informações limitadas: 75% dos entrevistados não sabiam que existia uma relação entre microbioma e doença de Parkinson, doença de Alzheimer e distúrbio do espectro autista.


Os pesquisadores também abordaram questões sobre medidas comportamentais para melhorar o microbioma: dieta variada e balanceada, praticar atividade física, não fumar, consumir probióticos, consumir prebióticos, realizar duchas vaginais e tomar banho ao menos duas vezes ao dia. Veja a imagem abaixo:


resultados da pesquisa do Observatório internacional da microbiota de 2023

Os brasileiros tiveram o melhor desempenho: 64% adotam estes comportamentos.

Outro tópico interessante foi a associação entre alguns distúrbios e sua relação com o microbioma. Metade dos entrevistados que tiveram distúrbios gastrointestinais ou infecção urogenital nos últimos 5 anos, associaram estes evento ao microbioma, porém quando o distúrbio era em outros órgãos, apenas ⅓ foi capaz de fazer essa ligação.


resultados da pesquisa do Observatório internacional da microbiota de 2023


Profissionais de saúde são essenciais para ensinar os pacientes a se tornarem protagonistas da própria saúde do microbioma

Quase 1 em cada 2 brasileiros (49%) recebeu explicações de seu profissional de saúde sobre como manter um microbioma equilibrado (em comparação com 44% no geral).


Por outro lado, eles têm menos conhecimento sobre as consequências negativas dos antibióticos em seu microbioma. Apenas 1 em cada 3 brasileiros recebeu recomendações de seu profissional de saúde sobre como minimizar as consequências negativas do uso de antibióticos em seu microbioma (32%) ou foi informado de que o uso de antibióticos poderia alterar o equilíbrio de seu microbioma (32%).


A BiomeHub acredita que o conhecimento é a principal ferramenta de transformação na vida das pessoas, que se constrói de maneira clara e colaborativa. Deste modo, estamos abertos a contribuir e aprender sempre.


Nós defendemos a democratização da ciência e trabalhamos para torná-la mais próxima e acessível.


Acesse na íntegra os resultados desta pesquisa, clicando aqui. Se você quiser ter acesso apenas aos resultados do Brasil, pode acessar diretamente aqui.


Posts Relacionados

Ver tudo

Commentaires


Gostou do conteúdo?
Assine nossa newsletter e seja o primeiro a saber sobre as novidades.
* A BiomeHub tem o compromisso de proteger e respeitar sua privacidade e nós usaremos suas informações pessoais somente para administrar sua conta e fornecer os produtos e serviços que você nos solicitou. Ocasionalmente, gostaríamos de contatá-lo sobre os nossos produtos e serviços, também sobre outros assuntos que possam ser do seu interesse. Você pode cancelar o recebimento dessas comunicações quando quiser. 

Obrigado por se inscrever!

bottom of page