top of page

InfectScan: a solução molecular para infecções do trato urinário

trato urinário

O InfectScan é um exame molecular que auxilia no diagnóstico de infecções do trato urinário (ITU) complicadas, de repetição ou recorrentes.


Este exame foi desenvolvido para auxiliar a investigação de processos infecciosos relacionados ao diagnóstico clínico, otimização e avaliação da eficácia de tratamentos, além da avaliação de resistência antimicrobiana.


O InfectScan é realizado por meio do sequenciamento de DNA de alto desempenho (NGS) por painel de captura. É possível identificar, com apenas uma amostra, a proporção de:


  • 121 espécies de Bactérias,

  • 14 espécies de Fungos,

  • 15 tipos de Vírus,

  • 4 espécies de Parasitos,

  • Mais de 3000 genes de resistência antimicrobiana (18 classes de antimicrobianos).



Por que utilizar o InfecScan no diagnóstico de ITU?

Aproximadamente 1 em cada 3 mulheres vão desenvolver um episódio de infecção do trato urinário (ITU) não complicada antes dos 24 anos. Além disso, mais de 50% das mulheres apresentarão ao menos 1 episódio de ITU ao longo da vida, sendo que 26% terão recorrência durante os 6 meses após o tratamento inicial.


Embora a cultura de urina ainda seja considerada o "padrão ouro" para o diagnóstico de ITU, lidar com resultados negativos representa um desafio significativo. A microbiologia convencional (cultivo microbiológico), apesar de sua ampla utilização, apresenta uma sensibilidade de aproximadamente 60% na detecção de ITU aguda. Isso significa que uma parcela substancial de casos de ITU pode não ser identificada por meio dessa técnica.


Devido à limitação na sensibilidade dos métodos dependentes de cultivo e à urgência em iniciar o tratamento adequado, muitos pacientes recebem tratamento antimicrobiano empírico quando há suspeita de ITU, mesmo na ausência de patógenos identificados. Essa prática pode contribuir para o desenvolvimento de resistência aos antibióticos e aumentar os custos associados ao tratamento.


A falha em obter um diagnóstico preciso e oportuno pode ter consequências graves, incluindo:

  • Tratamentos inadequados,

  • Aumento da resistência aos antimicrobianos,

  • Complicações da doença,

  • Estresse físico e emocional,

  • Custos mais elevados para o sistema de saúde.


Portanto, é fundamental adotar abordagens que permitam uma identificação rápida e precisa de patógenos, a fim de direcionar o tratamento de forma adequada e eficaz.


O NGS é uma técnica independente de cultivo e complementar para detecção de microrganismos. Ele contorna algumas limitações do cultivo à medida que sofre menos influência pela exposição prévia a antibióticos e orienta o uso de drogas antimicrobianas por meio da análise de genes de resistência.




Por que fazer o Infectscan?

O InfectScan permite uma melhor caracterização de microrganismos-alvo e genes de resistência, com maior sensibilidade analítica do que o sequenciamento por metagenômica, ou até mesmo o cultivo microbiológico. Veja outras vantagens de utilizar o InfectScan:


  • Ferramenta com tecnologia de última geração para o diagnóstico complementar de infecções do trato urinário complicadas, recorrentes ou de repetição

  • Capacidade de investigação de genes de resistência aos antimicrobianos

  • Maior sensibilidade em amostras com alta carga de DNA humano e/ou bactérias comensais

  • A coleta pode ser realizada no momento da suspeita clínica pelo próprio paciente no conforto da sua casa utilizando o kit de autocoleta.


A coleta se assemelha à coleta de urina convencional, porém, é realizada em um frasco com solução estabilizante que consegue preservá-la em temperatura ambiente por até 15 dias.


Saiba mais sobre o InfectScan acessando nosso site, é só clicar aqui.


A BiomeHub é uma empresa brasileira pioneira na análise e pesquisa em microbioma humano. Estamos na vanguarda nacional no avanço e execução de análises utilizando tecnologias de última geração em genômica, microbiologia molecular e bioinformática, todas direcionadas para a promoção da saúde humana. Integramos o conhecimento de ponta com a saúde, criando produtos inovadores para resolver desafios na área médica.


Ao longo dos anos, desenvolvemos um amplo portfólio, utilizando o sequenciamento NGS, que contempla exames que identificam a composição da microbiota intestinal, vaginal e oral, bem como exames complementares para diagnóstico de infecções complicadas e pesquisa de genes de resistência.



Fontes:


Aggarwal N, Leslie SW, Lotfollahzadeh S. Recurrent Urinary Tract Infections. [Updated 2024 May 2]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2024 Jan. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557479/


Szlachta-McGinn A, Douglass KM, Chung UYR, Jackson NJ, Nickel JC, Ackerman AL. Molecular Diagnostic Methods Versus Conventional Urine Culture for Diagnosis and Treatment of Urinary Tract Infection: A Systematic Review and Meta-analysis. Eur Urol Open Sci. 2022. doi: 10.1016/j.euros.2022.08.009.


Anger J, Lee U, Ackerman L, et al. Recurrent uncomplicated urinary tract infections in women: AUA/CUA/SUFU guideline. J Urol. 2019;202(2):282-289. doi:10.1097/JU.0000000000000296.


Coba G, George Coba, Koo T, et al. MP71-03: Comparison of novel DNA-based tools for bacterial detection in patients with chronic urinary tract infection (CUTI). J Urol. 2019. doi:10.1097/01.JU.0000557115.69479.1b.


Mouraviev V, McDonald M. An implementation of next generation sequencing for prevention and diagnosis of urinary tract infection in urology. Can J Urol. 2018.


Coba G, Koo T, Zaman S, et al. MP47-07: Comparative value of chronic urinary tract infection (UTI) diagnosis between standard culture sensitivity and next generation sequence (NGS) in urine samples. J Urology. 2019. doi:10.1097/01.ju.0000556319.92548.c7.


Jia K, et al. Enhancing urinary tract infection diagnosis for negative culture patients with metagenomic next-generation sequencing (mNGS). Front Cell Infect Microbiol. 2023 Mar 3;13:1119020. doi: 10.3389/fcimb.2023.1119020.


Flores-Mireles AL, Walker JN, Caparon M, Hultgren SJ. Urinary tract infections: epidemiology, mechanisms of infection and treatment options. Nat Rev Microbiol. 2015 May;13(5):269-84. doi: 10.1038/nrmicro3432.

Posts Relacionados

Ver tudo

コメント


Gostou do conteúdo?
Assine nossa newsletter e seja o primeiro a saber sobre as novidades.
* A BiomeHub tem o compromisso de proteger e respeitar sua privacidade e nós usaremos suas informações pessoais somente para administrar sua conta e fornecer os produtos e serviços que você nos solicitou. Ocasionalmente, gostaríamos de contatá-lo sobre os nossos produtos e serviços, também sobre outros assuntos que possam ser do seu interesse. Você pode cancelar o recebimento dessas comunicações quando quiser. 

Obrigado por se inscrever!

bottom of page